do berço para toda vida

Obra do Berço: do berço para toda vida

Diretrizes

  • Política Nacional de Assistência Social, do Plano Nacional de Assistência Social;
  • Sistema Único da Assistência Social do Município de São Paulo;
  • Plano Nacional de Educação; e
  • Concepções interacionistas-construtivistas.

Usuários, crianças, adolescentes, jovens, adultos e suas famílias, sujeitos de direitos e deveres, inseridos em uma sociedade caracterizada por uma cultura, uma história e uma política, cuja realidade atual é marcada pelas desigualdades socioeconômicas. São profundamente marcados pelo meio social em que se desenvolvem e participam ativamente desse meio, marcando-o também.

A construção de sua identidade, conhecimento e relações baseiam-se nessa interação social e têm como referência fundamental o núcleo familiar. Concebidos portanto, como seres humanos integrais e complexos, com necessidades específicas de seus grupos etários, em constante interação com o meio físico e sócio cultural, são cidadãos de direitos e deveres, com potencial para gerar transformações pessoais e sociais.

A criança, o adolescente e o jovem também são vistos pela condição peculiar de desenvolvimento em que se encontram, o que justifica a importância de vivenciarem oportunidades de interação ativa com objetos de aprendizagem, de convívio social, no confronto de hipóteses e experiências significativas, permeadas por relações de afeto e vínculos, condições necessárias para sua constituição como seres humanos e cidadãos.

Família, centralidade da ação Socioassistencial, núcleo social básico de acolhida, convívio, autonomia, sustentabilidade e protagonismo social, dinâmico e fundamental para a constituição do ser humano. É a primeira referência de pertencimento grupal primário.
Hoje constituída de novos e diversos arranjos, é alvo central da atenção das políticas de proteção social, possuidora de direitos, entre eles os da seguridade social, bem como de deveres e responsabilidades, na medida em que é mediadora das relações entre sujeitos e coletividade, o público e o privado e geradora de modalidades comunitárias de vida.

Comunidade, contexto importante para constituição do ser, das relações e vínculos de pertencimento social e de parcerias institucionais, que componham uma rede de proteção social, integradora de recursos e serviços, capazes de propiciar aos usuários a ampliação de acesso aos direitos e conscientização de deveres, atividades sociais, culturais, de educação, de saúde e esportes.

Trabalho Social, voltado à família, consiste em ações Socioassistenciais de acolhimento e escuta qualificada, reuniões socioeducativas, participação em atividades na unidade de atendimento, em visitas domiciliares ou ações na comunidade, com vistas ao acompanhamento e encaminhamentos para rede de proteção social que lhes dê acesso a seus direitos de cidadania.

Trabalho Socioeducativo, desenvolvido com base nos “Parâmetros Socioeducativos da Prefeitura de São Paulo” por meio de estratégias de base interacionistas - construtivistas, sistematizadas em ciclos dinâmicos e em constante revisão, construídas a partir da análise de contextos de realidade e território, participação dos usuários por meio de propostas, avaliações qualitativas e quantitativas e planejamento estratégico.

Serviços, conjunto de atividades e atenções profissionalizadas, sistemáticas e contínuas, organicamente articuladas em torno de objetivos comuns adequados a cada faixa etária de público atendido, realizadas em local de trabalho referência (podendo se estender ao território), destinadas a garantir necessidades básicas, acesso a exercício da cidadania e proteção social ao cidadão, afiançando-lhes, como usuários destes Serviços, aquisições sociais que resultem em exercício capacitador de vínculos sociais e que ofereçam respostas a situações que expressam necessidade concreta da população.

Projetos, ação socioeducativa complementar ao Trabalho Social e Socioeducativo com objetivos adequados a cada público atendido pertencente a mesma Instituição, em processos de integração, replanejamento e atualização constante, condizentes com as necessidades dos usuários dos Serviços, condição desejada para oferecer novas oportunidades de alcance dos direitos de cidadania, sob os mesmos princípios e diretrizes, proteção social aos usuários e famílias.

Programas, ação social governamental criada para enfrentamentos de problemas sociais de ordem nacional ou regional.

Gestores, Assistentes Técnicos, Orientadores Socioeducativos e Agentes Operacionais, trabalhadores mediadores do processo de construção das vivências e aprendizagens socioeducativas dos usuários, em constantes interações sociais com os mesmos e suas famílias, bem como interações operacionais com seu objeto de trabalho.

Objetos de trabalho e processos de atuação profissional, interagindo com o dinamismo do mundo atual, pressupondo constantes aprimoramentos por meio de formação externa ou interna nas diferentes áreas.

2017 - © Obra do Berço - Todos os direitos reservados